sexta-feira, 27 de maio de 2011

Conforto para o ladrão, péssimo transporte para o cidadão


Há quem faça críticas à polícia pelo uso do "camburão", dizem ser "desumano" transportar o preso no compartimento de bagagens do veículo (mas o ladrão ou o assassino não pensam na desumanidade que fazem antes de um assalto, latrocínio ou outras barbaridades que fazem). O maior problema, à letra da lei, seria a falta de um assento com cinto de segurança (mas não reclamam da falta de cintos de segurança e de pais de família de pé dentro de ônibus enquanto vão TRABALHAR), mas algumas viaturas até o possuem quando o guarda-presos (popularmente conhecido como caçapa, xadrez, jaula ou chiqueiro) é montado na cabine, como em vários hatches e sedans, em que não é tão fácil montar o compartimento separado como numa wagon.

Ainda assim, o criminoso tem mais segurança e até conforto dentro de um camburão do que um pai de família dentro de um ônibus lotado, sem nem poder sonhar com ar condicionado (nem todas as viaturas tem o sistema funcionando para o "xadrez", mas agora que usam mais aquelas divisórias de tela acaba sendo refrigerado junto com a cabine), e temendo ser assaltado, muitas vezes percorrendo longos trajetos de pé como se fosse gado num caminhão boiadeiro indo ser abatido num frigorífico.
Vale destacar que uma parte considerável da frota de ônibus brasileira ainda é composta por veículos montados sobre chassis de caminhões, para transportar cargas ao invés de passageiros. E em vários casos o trabalhador que desejar um pouco mais de conforto e segurança ou gasta uma fortuna com táxi ou recorre ao "transporte alternativo", também conhecido como "seletivo", que em Porto Alegre é atendido pela modalidade das "lotações".

É uma situação no mínimo curiosa, o cidadão brasileiro de bem que trabalha tem menos "direitos humanos" que um assaltante ou um estuprador que só causam transtornos à sociedade com suas práticas nocivas e verdadeiramente desumanas.

A meu ver, é inaceitável a mentalidade de alguns que se dizem "ativistas de direitos humanos" mas, na prática, não passam de defensores de bandido. Dizer que "todos tem direito à vida" é fácil, mas quando um crime está prestes a acontecer nenhum desses "ativistas" aparece para tentar convencer o marginal a poupar a vítima, e tem nóia que atira para ver o buraco da bala mesmo quando o cidadão não esboça reação quando o meliante tenta levar o que foi conseguido à custa de muito TRABALHO.

2 comentários:

  1. Concordo com você. Bandidos como por exemplo estupradores e latrocidas nem deveriam ser colocados num camburão. Deveriam ser amarrados com cordas bem fortes atrás das viaturas poderiam vir de arrasto.

    ResponderExcluir
  2. De verdad es una verguenza que el ladron y el asesino logren mas exitos que el trabajador y en la carcel cuenten con mas comfort.

    ResponderExcluir

Por favor, comente apenas em Português ou em Espanhol.

Please, comment only in Portuguese or Spanish.
In doubt, check your comments with the Google Translate.

Since July 13th, 2011, comments in other languages won't be published.